Ver Post

A genealogista Tati Marin

Em Opiniões e Experiências Por Tati MarinDeixe um Comentário

Genealogista era uma profissão que anos atrás, apesar de exercer amadoramente, eu não tinha a pretensão de seguir. Mas hoje é uma certeza! O texto que segue abaixo, escrito em 2015, leva o título “O que eu sou? O que eu faço?” Bem diferente deste que abre este post, não é? O motivo de trazer este conteúdo para cá vai de encontro com a minha identidade, que venho desvendando há anos. O texto vem com alguma edição, para ficar mais sucinto, e adições, que aparecem em itálico. O original pode ser lido no meu blog pessoal (e abandonado) My Miscs. …

Ver Post

Pesquisas genealógicas: preste atenção aos detalhes

Em Opiniões e Experiências Por Tati MarinDeixe um Comentário

Eu quase desisti de minhas pesquisas genealógicas. Várias vezes. Minhas desistências me levaram a longas interrupções. Hoje, estou naquele ponto em que parece impossível encontrar alguma pista. Estou em um beco sem saída. Mas sempre há esperança através do testemunho ou esforço de alguém. E agora, por estar aprendendo tantas coisas, seja nesta disciplina ou em outras. Assim, as experiências desta semana incluem a renovação da minha vontade e determinação. Aprendi que sempre haverá outra maneira, outro lugar, outra abordagem para encontrar novas informações.Por enquanto, meus obstáculos permanecem em descobrir onde um ancestral específico nasceu. Ainda não o superei, mas …

Ver Post

Opinião: temos sorte por sermos genealogistas?

Em Opiniões e Experiências Por Tati MarinDeixe um Comentário

Uma publicação nas redes sociais rendeu um pouco de conversa e inspiração. Sobre a citação “Se você tiver sorte o suficiente para ser um genealogista, você tem sorte o suficiente” de Ruth Padilla, perguntei: que sorte é essa? A que você acha que ela estava se referindo? No Instagram obtive alguns engajamentos interessantes. Entre as respostas, o enfermeiro Fernando Melo, que se dedica à genealogia há quase 20 anos e está a frente do perfil @genealogiaem, concorda com a autora. “Para mim a genealogia é um exercício que estimula várias habilidades”, afirma. Quer sorte maior que essa? Conversando, elencamos algumas …